Meditação

O cultuado cineasta americano David Lynch, praticante da meditação, disse certa vez: “a verdade é que pela meditação você se torna cada vez mais você.”

Ao observarmos um lago em noite de lua cheia, cuja superfície esteja turbulenta, não podemos ver seu reflexo claramente, mas quando a superfície da água do lago está calma, um reflexo perfeito aparece e veremos nitidamente a lua.

O mesmo acontece com a mente: quando está calma, vê-se claramente refletida a face enluarada da alma.

A pratica diária de meditação elimina os pensamentos agitados do lago da mente e permite que contemplemos nossa alma – reflexo perfeito do Espírito – e compreendamos que somos a unidade.

A meditação possibilita aquietar as ondas cerebrais. Interioriza a consciência. Amplia a percepção. Traz harmonia à existência humana. Desperta a inteligência, tornando a vida mais tranquila, feliz e criativa. O despertar dessa inteligência criativa é a benção da meditação.

Ao observar a mente, percebemos que ela se revela instável e agitada, como macaquinhos pulando de galho em galho. Essa natureza da mente nos enfraquece, nos cansa e nos impede o mergulho vitalizante, libertador e feliz no oceano do Ser.

Nas palavras do mestre Sai Baba, ”a meditação, de fato, é o primeiro passo para a autorrealização”.

Praticar meditação não significa pôr a mente ao exercício de pensar, lembrar-se, imaginar ou refletir. Visa essencialmente desenvolver a disciplina da quietude e do silêncio.

Toda quarta-feira, realizamos sessões abertas de Meditação.